Ações de preservação de rios tem custo estimado em R$ 10 milhões

Um novo encontro esta tarde (11) voltou a discutir medidas para evitar a poluição nos rios de Bonito, ressaltando não só o tom emergencial de medidas de preservação, como também o alto investimento financeiro para as obras. Na reunião que contou com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e ainda o ministro Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun, o secretário municipal de turismo da cidade, Algusto Barbosa Mariano, informou que já há um projeto no Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste) solicitando R$ 10 milhões para serem revertidos nos trabalhos. O aporte será revertido no replantio de mudas, cercamentos de áreas de preservação e construção de caixas de contenção em estradas, dentre outras medidas que ajudem a evitar que sedimentos de lavouras, continuem sendo lançados nos leitos dos rios, durante as chuvas. No município, ainda conforme o secretário, cerca de 1,5 mil hectares exigem medidas mais urgentes de contenção da lama, mas em outras 10 mil hectares de vegetação, os trabalhos de preservação também devem ser reforçados a “médio prazo”. O governador ressaltou a importância de um levantamento in loco, consultando empresários do turismo e fazendeiros das regiões de Bonito, Bodoquena e Jardim, durante a construção de um estudo detalhado das áreas onde seria necessário a criação de unidade de preservação ou até realocação de moradores, por exemplo, para que fossem preservados os rios.

Fonte: CampoGrandeNews - Foto: Kísie Ainoã)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *